Projeto leva educação a distância a locais sem internet

Projeto leva educação a distância a locais sem internet

Uma inovadora tecnologia desenvolvida por membros do Centro de Ciências Computacionais da Universidade Federal de Rio Grande (FURG) em parceria com a
CAPES pode expandir o alcance da modalidade de ensino a distância em locais sem internet ou com conectividade limitada. Intitulado AVAPolos, o projeto foi
apresentado nesta quarta-feira, 29, na sede da Coordenação, em Brasília. A ferramenta funciona 100% off-line e foi criada para permitir que a Universidade Aberta
do Brasil (UAB) chegue às regiões mais remotas do País.

Jônata Tyska, coordenador técnico do projeto AVAPolos, foi o responsável por apresentar o sistema ao lado dos analistas desenvolvedores Rafael Vianna e João
Mateus Daltro. Durante toda a manhã, a equipe da FURG demonstrou o funcionamento da ferramenta e explicou de que forma ela pode ser utilizada pelas
instituições que integram a UAB. A apresentação ocorreu depois de sete meses de trabalhos realizados por uma equipe formada por mais de 15 pessoas.

Funcionalidades
As principais informações sobre o AVAPolos estão disponíveis no site do projeto. No portal, é possível acessar a guia de instalação e o manual de utilização, além de baixar
o programa. Inicialmente, o sistema reúne os serviços EduCAPES, Moodle e MediaWiki, mas pode ser totalmente customizado pelas instituições de ensino superior, que terão
liberdade para agregar outros ambientes de ensino, de acordo com suas próprias necessidades.

Além do uso em regiões sem internet ou com conectividade limitada, o AVAPolos pode possibilitar também a implementação do ensino a distância em locais nos quais a
conexão é controlada em função de aspectos legais.

Implementação
Presente à apresentação do AVAPolos, a professora Marília de Goyaz, presidente do Fórum Nacional de Coordenadores da UAB, disse ter ficado “muito impressionada
positivamente” pelo projeto. Para ela, que também é diretora do Centro Integrado de Aprendizagem em Rede da Universidade Federal de Goiás, não deve haver maiores

dificuldades para que o sistema seja posto em prática.

A expectativa dos desenvolvedores é realizar o projeto-piloto da ferramenta até o final deste ano. A região amazônica é uma das principais candidatas a receber o teste do
sistema.
(Brasília – Redação CCS/CAPES)
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura ’39;CCS/CAPES’

https://www.capes.gov.br/36-noticias/9517-projeto-leva-educacao-a-distancia-a-

locais-sem-internet