Declaração do IR tem início em março

Declaração do IR tem início em março

Professor de Ciências Contábeis da UniMAX explica quais são os cuidados na hora de declarar

A temporada de acerto de contas com o Leão terá início em março e para quem precisa entregar a declaração do Imposto de Renda (IR) Pessoa Física 2019 – ano base 2018 – é importante já ir separando os documentos necessários.

De acordo com o professor de Ciência Contábeis da UniMAX, João Barduchi, quem enviar a declaração no início do prazo também recebe mais cedo a restituição, caso tenha direito a ela. “Os valores começam a ser pagos em junho de cada ano e seguem até dezembro. Se o contribuinte não apresentar todas as informações, pode cair na malha fiscal”, explica.

O prazo de entrega da declaração do IRPF termina em abril e até lá os contribuintes devem estar atentos às documentações que devem constar no preenchimento do documento.

Segundo o professor, devem declarar os contribuintes que tiveram rendimentos acima de R$ 28.559,70 em 2018; rendimentos não tributáveis acima de R$ 40 mil; realizaram operações em bolsa de valores; tiveram ganho de capital na venda de bens; tiveram renda anual rural acima de R$ 142.798,50; têm bens cujo valor ultrapasse R$ 300 mil; passaram a condição de residente no Brasil. “Para declarar tenha em mãos o informe de Rendimento da empresa a qual você trabalha e do banco que você tem conta. Os bens também precisam ser declarados como carros, casa, etc.”, explica.

Além disso, Barduchi também alerta que, neste ano, a Receita Federal anunciou que se torna obrigatório informar o CPF (Cadastro de Pessoa Física) de todos os dependentes, independentemente da idade. “Também devem ser declarados os recibos e notas fiscais de médicos, dentistas, ou quaisquer outros profissionais da saúde, inclusive convênio médico, quando não é pago pela empresa”, orienta. “Recibos e notas fiscais de escolas do fundamental à faculdade também devem ser declarados”, completa.

O professor alerta que mesmo os contribuintes desempregados devem declarar o IR, caso esteja enquadrado. E caso tenha trabalhado somente alguns meses em 2018, tenha em mãos o Informe de Rendimentos.

Malha Fina

Segundo o professor de Ciências Contábeis, o contribuinte deve ser extremamente cuidadoso no preenchimento da declaração. “A Receita Federal possui muitas informações sobre você e qualquer discrepância, cai na Malha Fina. O que mais acontece é a informação incorreta de rendimentos ou abatimentos”, enfatiza.

Caso a pessoa caia na malha fina, Barduchi explica que o contribuinte receberá uma notificação e deverá comparecer à Delegacia da Receita Federal para prestar esclarecimentos ou, se identificar o erro, a Receita permite, em alguns casos, a retificação. “Se você perceber que não recebeu sua restituição, então provavelmente você está na malha fina. Vá até a Receita Federal e solicite informações”.

Caso o contribuinte perca o prazo, o mesmo deverá apresentar declaração a qualquer momento, porém pagará multa de 1% ao mês sobre o total do imposto devido, limitado a 20%. Quem não entregar a declaração está sujeito a ter seu CPF suspenso.

Imposto Solidário

Todos os anos, a UniMAX Indaiatuba realiza o projeto social Imposto Solidário, em que alunos do curso de Ciências Contábeis se dispõe a orientar e ajudar a população da cidade a realizar de forma segura, tranquila e consciente o preenchimento da declaração do Imposto de Renda (IR) Pessoa Física.

Nos últimos anos de realização, o projeto social tem contribuído de forma bastante significativa para as instituições sociais de Indaiatuba por orientar ao contribuinte a possibilidade de destinar 3% do Imposto de Renda devido ao Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente. “O IR Solidário é um projeto com inúmeros benefícios. Além de o aluno de Ciências Contábeis colocar em prática os ensinamentos aprendidos no curso, ele participa de uma iniciativa social de extrema importância para a população, especialmente para quem não tem acesso à informações detalhadas sobre a declaração do Imposto de Renda. E isso enriquece a formação do profissional, que sai com um olhar apurado sobre seu papel na sociedade”, comenta o coordenador do curso de Ciências Contábeis, professor João Barduchi.

Fonte: Jornal Mais Expressão (Jornalista Denise Katahira)

28/02/2019