Cerca de 5 mil crianças e adolescentes serão beneficiadas com projeto de combate à obesidade infantil em Indaiatuba

Cerca de 5 mil crianças e adolescentes serão beneficiadas com projeto de combate à obesidade infantil em Indaiatuba

A previsão é de que 30 escolas da rede municipal e estadual sejam atendidas pelo Projeto Educação Nutricional na Escola e na Comunidade (PENEC) que irá impulsionar o Programa Saúde na Escola (PSE) no município

Aproximadamente 5 mil estudantes da rede de ensino municipal e estadual de Indaiatuba serão beneficiadas pelo Projeto Educação Nutricional na Escola e na Comunidade (PENEC) que irá impulsionar as ações do Programa Saúde na Escola (PSE) no município. A previsão é de que durante o desenvolvimento do projeto 30 escolas sejam atendidas com ações de combate à obesidade infantil.

A proposta é fazer com que grande parte da população de Indaiatuba tenha acesso ao conhecimento das boas práticas de alimentação e sobre a importância de uma alimentação saudável e balanceada, desde a infância até a vida adulta, contribuindo para a saúde individual e coletiva. Estas atividades também irão auxiliar no conhecimento do perfil sociocultural e epidemiológico do município.

Idealizados pelo cursos de Nutrição e Medicina da UniMAX – Centro Universitário Max Planck de Indaiatuba, o PENEC irá atender toda a comunidade indaiatubana, além dos alunos da rede pública de educação, por meio de atendimentos e orientações nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município.

A coordenadora do curso de Nutrição, professora Bianca Sant’Anna Pires Luiz, mentora do projeto e que também leciona no curso de Medicina, explica que o PENEC veio ao encontro de um pedido da Prefeitura de Indaiatuba para que a instituição de ensino apoiasse o Programa Saúde na Escola no município. “O convite partiu da Secretaria da Saúde através da Estefânia Vieira P. de Moraes. Os nutricionistas e a representante do órgão público elencaram as situações que seriam viáveis para uma aplicação prática”, diz.

Concomitante a isso, os alunos de Medicina desenvolveram projetos de alimentação baseados em cenários hipotéticos e as ideias foram apresentadas às secretarias municipais de Saúde e Educação e aos estudantes de Nutrição. A partir disso, os alunos de Nutrição compilaram dados e elaboraram um projeto único direcionado à promoção da alimentação saudável e prevenção da obesidade infantil. “O start do projeto começou com a ideia dos alunos de Medicina para a escola da cidade fictícia (POLIS) e com base nisso, os estudantes de Nutrição desenharam este projeto, que agora, será aplicado em escolas reais de Indaiatuba”, revela a docente.

Serão envolvidos, ainda, no projeto colaboradores das escolas (professores, merendeiras, monitores, etc.), pais e responsáveis dos alunos, além de pacientes e equipes de profissionais das UBS que serão os intermediadores do projeto nas escolas. “Dentro do PSE, cada escola tem sua UBS de referência, por isso os agentes, enfermeiros, responsáveis desses locais conduzirão os universitários ao atendimento nas unidades de ensino”, conta a professora.

As ações do PENEC iniciaram no mês de agosto com os alunos de Nutrição e Medicina atuando junto as UBS de Indaiatuba. Além dessa vertente, o projeto visa a implantação de hortas nas escolas, aquisição de insumos para a produção das hortas, palestras com a comunidade escolar sobre alimentação saudável, realização de atividades com dinâmicas, jogos, palestras lúdicas, entre outras.

Sobre o PSE

De acordo com o Governo Federal, o Programa Saúde na Escola (PSE) visa à integração e articulação permanente da educação e da saúde, proporcionando melhoria da qualidade de vida da população brasileira. Além disso, tem o objetivo de contribuir para a formação integral do público-alvo por meio de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde, com vistas ao enfrentamento das vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças e jovens da rede pública de ensino.

Dados sobre Obesidade Infantil

Segundo a ABESO (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), a Organização Mundial de Saúde (OMS) aponta a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. A projeção é que, em 2025, cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso; e mais de 700 milhões, obesos. O número de crianças com sobrepeso e obesidade no mundo poderia chegar a 75 milhões, caso nada seja feito.

Apenas na região sudeste, onde Indaiatuba está inserida, o excesso de peso na faixa etária entre 5 a 19 anos é de 61,6% e entre os adultos ultrapassa os 50%.

De acordo com a Associação, no Brasil, a obesidade vem crescendo cada vez mais. Alguns levantamentos apontam que mais de 50% da população está acima do peso, ou seja, na faixa de sobrepeso e obesidade. Entre crianças, estaria em torno de 15%. No último levantamento oficial feito pelo IBGE entre 2008/2009, já era possível perceber este movimento crescente da obesidade.

Texto: Tatiane Dias (MTB 67029)

Fotos: Claudia Shirano

09/09/2019