MEDICINA VETERINÁRIA – O que você deve saber, especialmente se está grávida

MEDICINA VETERINÁRIA – O que você deve saber, especialmente se está grávida

Você sabe o que é e como se prevenir? Estou grávida, tenho que doar meu gato? Essas são perguntas importantes sobre a toxoplasmose, uma doença infecciosa causada por um protozoário chamado Toxoplasma gondii. Essa doença é considerada uma zoonose de caráter geográfico cosmopolita que acomete animais endotérmicos, mas geralmente caracteriza-se como uma infecção comum e rara doença. Ou seja, as pessoas e os animais podem estar infectados, porém poucas vezes ocorre a manifestação de sinais e sintomas clínicos.

Quando ocorrem os sinais, a pessoa ou o animal pode apresentar febre, dores musculares e nas articulações, aumento de linfonodos (ínguas), cansaço, dores de cabeça e alterações visuais (quando ocorre comprometimento da retina), corioretinite, dor de garganta, aumento do fígado e do baço. A doença pode ser mais prejudicial em pacientes imunodeprimidos, como por exemplo, em pacientes portadores do vírus HIV, que pode levar à morte.

A toxoplasmose é uma das doenças mais difundidas e prevalentes do mundo. Os gatos são importantes na disseminação da infecção pelo T. gondii em animais e também em humanos, pois são os únicos animais que excretam oocistos pelas fezes no meio ambiente. Em geral, os oocistos são eliminados após o desmame (quatro a seis semanas de idade), quando os animais começam a caçar ou ingerir carnes. Animais velhos raramente eliminam oocistos. Não só os gatos domésticos, mas outras espécies de felídeos são capazes de excretar oocistos de T. gondii pelas fezes. Talvez por isso, seja denominada de doença do gato.

Mas o gato não é o vilão da história. O gato pode se infectar e eliminar os oocistos do T. gondii pelas fezes por um período curto de tempo, de aproximadamente 21 dias. E, ainda, os oocistos quando são eliminados pelas fezes ainda não estão infectantes, ou seja, se você entrar em contato com as fezes de gato nas primeiras 24 horas após a eliminação, o risco de se infectar é muito pequeno.

Quais são as principais formas de se infectar?

  • Ingestão de carne crua ou mal cozida, sem prévio congelamento. O T. gondii pode ficar na forma de bradizoítos em cisto tecidual na musculatura de ovinos, suínos, bovinos, aves, equinos, entre outros. Quando nos alimentamos de carne crua ou mal cozida podemos nos infectar.
  • Ingestão de verduras e frutas mal lavadas ou água contaminada. O T. gondii pode ficar na forma de esporozoítos (oocistos esporulados) na verdura, na fruta ou na água e, se ingerirmos, podemos nos infectar. Uma vez esporulados, os oocistos no meio ambiente podem persistir viáveis em solo úmido e sombreado.
  • Transmissão transplacentária por taquizoítos de T. gondii. Esta via assume uma vital importância em saúde pública pelos sérios agravos produzidos, tais como abortamentos ou nascimentos de crianças com retinocoroidite, hidrocefalia e calcificação cerebral. Por isso que as mulheres gestantes devem fazer o exame sorológico no primeiro trimestre da gestação, pois se elas forem negativas no teste terão que ter maior cuidado durante a gravidez.

Equivocadamente, alguns profissionais da área de saúde incriminam o pombo-doméstico (Columba livia domestica) como hospedeiro definitivo de T. gondii, associando a capacidade desta ave em eliminar oocistos deste protozoário pelas fezes e contaminar o meio ambiente. Esta ave, como qualquer outra ave ou mamífero, pode se infectar pelo T. gondii e desenvolver o ciclo assexuado do parasita com a formação de taquizoítos e bradizoítos (cistos teciduais) em músculos e vísceras. Daí, os felídeos, ou outros animais carnívoros e inclusive o homem, poderiam apenas adquirir a toxoplasmose pela ingestão de carne crua ou mal cozida de pombo contendo estas formas infectantes.

Dessa forma, o que precisamos saber para prevenir a ocorrência da toxoplasmose? Quais são cuidados importantes que as pessoas devem ter?

Confira alguns detalhes muito importantes

  • Lavar mãos e objetos utilizados na manipulação de carnes, com sabão e água.
  • Congelar as carnes a -12°C por 5 dias antes do consumo.
  • Cozinhar carnes a 67°C antes do consumo.
  • Não consumir carnes cruas ou mal passadas.
  • Evitar provar carne crua (principalmente linguiças) quando estiver preparando a alimentação.
  • Lavar e higienizar verduras e frutas antes do consumo. Mulheres grávidas devem ter cuidado com alimentação em restaurantes.
  • Fazer uso de luvas na jardinagem e lavar bem as mãos.
  • Gestantes, especialmente, devem evitar o contato com as fezes de gatos, solo ou carne crua.
  • Gestantes devem realizar acompanhamento pré-natal.
  • Lavar bem as mãos após limpeza da caixa de areia dos gatos.
  • Realizar limpeza e remoção diária das fezes de gatos evitando a esporulação de oocistos.
  • Gatos devem comer ração e/ou carne cozida.
  • Evitar que os gatos saiam de casa para caçar e virar o lixo. Estimular a posse e guarda responsável.
  • Ter cuidado com as fezes de gatos em fazenda de ovinos, caprinos, suínos, bovinos e em granjas de aves.
  • Lavar e ferver vassouras, pás e outros equipamentos usados para limpar caixa de areia dos gatos.

A toxoplasmose é uma importante zoonose de distribuição mundial. Está associada à presença de gatos, mas as mulheres grávidas não precisam doar seu gato. O importante é adotar os cuidados para prevenir a ocorrência da doença.

Profª Drª Maria Fernanda Vianna Marvulo

Médica Veterinária, mestre e doutora em Epidemiologia Experimental Aplicada às Zoonoses pelo Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal (VPS), FMVZ/USP. Atualmente exerce a função de Coordenadora do curso de Medicina Veterinária da Faculdade Max Planck em Indaiatuba (SP) e é professora de Epidemiologia Veterinária, Medicina Preventiva, Ciências Ambientais, entre outras. Principal foco de atuação é com o estudo de zoonoses e promoção do conceito de Uma Saúde, com mais de 30 artigos publicados em revistas nacionais e internacionais.

27/12/2016