Programa Diabetes no Controle encerra 2016 com resultados positivos

Programa Diabetes no Controle encerra 2016 com resultados positivos

Cerca de 70% dos participantes melhoraram significativamente os níveis de glicemia

Quando chegou à Interclínicas, em fevereiro deste ano, Maria Aparecida Rodrigues, 59, tinha alto índice de glicemia e a pressão diabetes-no-controle-4que chegava a dar picos de 220×120 mmhg. Dez meses depois, a aposentada comemora a melhora da saúde e qualidade de vida. “Passei a fazer exercícios regulares e minha pressão está bem controlada. Eu só posso estar muito satisfeita com o tratamento aqui, foi a melhor coisa que aconteceu”, comenta.

Maria Aparecida é uma das dezenas de pessoas que participaram do Programa Diabetes no Controle em 2016, parceria entre Faculdade Max Planck, Associação de Diabetes Sempre Amigos de Indaiatuba e Prefeitura Municipal de Indaiatuba. O grupo é acompanhado regularmente por docentes e alunos dos cursos de Saúde: Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia e Nutrição.

diabetes-no-controle-5Em tratamento constante do pé diabético, uma grave consequência da doença, Antonio Carlos Del Grossi comemora os avanços após participar do grupo. “São orientações muito valiosas, toda a equipe nos ajuda muito. Uma das conquistas foi que eu aprendi que posso comer de tudo, desde que eu saiba equilibrar a alimentação e manter os exercícios”, disse.

No grupo desde abril, Mario Luiz Pedrão, 58, também reconhece a qualidade do trabalho realizado pela equipe multidisciplinar. “Gostei do conjunto, de tudo. Alimentação, exercícios, como administrar os remédios, enfim, aprendemos muita coisa, mudou a nossa vida para melhor”.

Para Angela Maria Tomaz da Silva, o carinho dos alunos e professores durante o atendimento contribuiu no tratamento. “Eles nos ajudam bastante. Por exemplo, conseguiram me ensinar os horários mais adequados dos medicamentos e hoje me sinto bem melhor. Eles nos animam, nos dão coragem, agora consigo até correr na quadra, coisa que não fazia”, conta.

Além de estar em contato direto com pacientes, aprendemos muito com eles e podemos ajudá-los com promoção de saúde. E é diabetes-no-controle-6muito prazeroso saber que nosso trabalho proporciona uma ação tão importante”, afirma Flávio Junior Mangueira, do 6o semestre de Farmácia. “Essa experiência foi riquíssima, especialmente com esse público de terceira idade. Com certeza é de grande valia para a nossa formação porque somos convidados a nos aprofundar no tema, sair do trivial. E isso deixa o curso bem prático”, diz Alison Cardoso, do 4o semestre de Educação Física.

Segundo o presidente da Associação, Edvaldo Furtado Apolinário “Didi”, a evolução tem sido constante e cada vez maior. “Os resultados positivos são visíveis. Na parte glicêmica, por exemplo, cerca de 70% melhoraram. E a melhoria reflete em vários aspectos, como emocional, físico e mental. E a atenção e o carinho da equipe de saúde são fundamentais para o bem-estar de todos”, garante.

Vale lembrar que o Programa Diabetes no Controle começou em 2015, com encontros regulares três vezes por semana. Além disso, os pacientes participam de oficinas de culinária promovidas pelo curso de Nutrição e atendimentos individuais com equipes de Farmácia, Fisioterapia e Enfermagem.

diabetes-no-controle-7 “Esse é um relevante projeto social que permite ao aluno vivenciar a prática profissional  com a supervisão dos professores. E com isso oferecemos à comunidade um serviço  gratuito e de extrema  diabetes-no-controle-2-2qualidade. Estamos muito satisfeitos com os avanços deste ano,  mas sabemos que há ainda muito o que fazer. Por isso a parceria continua firme em  2017 e para nós é um imenso prazer ”, garante a gestora da Interclínicas, professora Cândida Acácia Barroca.

INFLUÊNCIA POSITIVA

Os benefícios do Programa Diabetes no Controle não terminam entre os participantes do grupo. A ação tem um poder multiplicador e de grande influência também nas famílias dos diabéticos. Orgulhosa por só ter três faltas durante o ano, Maria Aparecida é só alegria quando lembra que ajudou a filha a perder 11 quilos. “Eu vi que o trabalho de atendimento nutricional da Interclínicas era gratuito e disponível para a comunidade. Então, chamei minha filha e incentivei-a. Ela fez tudo certinho e hoje está bem melhor. Então, eu agradeço em dobro”, diz.

27/12/2016

Fotos: Claudia Shirano – Faculdade Max Planck