Indaiatuba ganha hospital-escola veterinário

A Faculdade Max Planck — que integra o Polis Educacional — acaba de inaugurar, em Indaiatuba, um hospital-escola veterinário dotado de infraestrutura de ponta, que vai servir não apenas para o aprimoramento profissional dos graduandos e atendimento gratuito para a população, como também para o planejamento e a execução de campanhas públicas de saúde animal.

Ao longo de um ano, foram investidos R$ 3 milhões na construção de salas de aula equipadas, unidades ambulatoriais de atendimento, laboratórios de patologia animal e análises clínicas, departamento de diagnóstico por imagem, curral e baias para internação e recuperação dos pacientes.

Projetos sociais

Ao todo, são 3 mil metros quadrados de área construídas dentro de uma área de seis alqueires da Fazenda Espírito Santo, propriedade rural localizada às margens da Rodovia João Cecon, a apenas quatro quilômetros da cidade. Quem comemorou a inauguração foi o prefeito de Indaiatuba, Reinaldo Nogueira (PMDB).

O campus, diz, vai servir para a implementação de projetos sociais, como o programa de controle populacional de cães e gatos, campanhas de castração e orientação de posse responsável. “Vai haver parceria entre os servidores e o pessoal técnico da Max Planck. O conhecimento e os equipamentos da faculdade estarão a serviço da comunidade”, disse o prefeito, no ato de inauguração.

A conscientização dos proprietários durante as campanhas vai livrar a cidade da procriação descontrolada. “A tendência é que as campanhas ajudem a diminuir os problemas de ordem sanitária, como a raiva e leptospirose, além da redução do número de animais abandonados”, diz o coordenador do curso, Thyago Dercoli.

Triagem

No campus, os alunos vivenciam o cotidiano prático de um médico veterinário. Mas os graduandos da Faculdade de Medicina Veterinária da Max Planck estarão aptos a atuar nas mais diversas áreas do segmento, que também incluem a vigilância sanitária, entre outros. Professores e estudantes ainda estarão engajados no atendimento a animais recolhidos nas ruas por organizações não governamentais. A expectativa é que, a cada dia, 40 animais passem pela triagem, sejam vacinados e vermifugados, e encaminhados para adoção.

O presidente do Polis, Ricardo Tannus, disse que a estrutura do campus também estará disponível a profissionais já formados, que possuem seus consultórios veterinários por toda a região.

Fonte: Correio Popular – RAC

POR: CORREIO POPULAR