Fórum de Empregabilidade mobiliza alunos de RH na discussão sobre refugiados e sustentabilidade de empresas

Fórum de Empregabilidade mobiliza alunos de RH na discussão sobre refugiados e sustentabilidade de empresas

Evento reuniu empresário especializado em imigração e representante da ONU

 A situação dos refugiados e o empreendedorismo com sustentabilidade foram os eixos norteadores do Fórum de Empregabilidade 2017, evento produzido pelo curso de Recursos Humanos da Faculdade Max Planck. O evento aconteceu no sábado, 20/05, e teve apoio da Agência da ONU para Refugiados, da EMDOC Brasil e da Prefeitura de Indaiatuba, por meio da Secretaria de Governo. Alunos de  Medicina Veterinária, Administração, Direito, Marketing, Engenharia de Produção e Ciências Contábeis, além de Recursos Humanos, participaram da iniciativa.

Um dos diferenciais do RH da MAX é a participação ativa de alunos em eventos, colocando em prática conceitos como liderança e processo de gestão. Por isso, no discurso de abertura, a coordenadora do curso, professora Carla Borges, fez questão de agradecer os apoiadores e enfatizou o empenho dos alunos, que foram responsáveis por todas as etapas de produção, inclusive pelo patrocínio do coffee.

“Mais que colocar a teoria em prática, todas essas iniciativas são oportunidades valiosas de os alunos entenderem seu papel na comunidade e contribuir de forma positiva para melhoria dos índices de empregabilidade de nossa região”, comenta a docente. “Conseguimos mobilizar toda a classe e colocamos em prática vários conceitos, especialmente de Comunicação Empresarial, Liderança e Gestão de Processos. E como profissionais, teremos que lidar com esse tipo de evento e com situações como os refugiados. Por isso, esse evento foi duplamente importante”, afirmou a aluna Lucimar Costa, do 3o semestre.

A assessora de proteção do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), conhecido como a Agência da ONU para Refugiados, Isabela Mazão, ministrou a primeira palestra. Com o tema “Refúgio no Brasil e no Mundo”, a convidada contou a história da fundação da agência, os desafios ao longo das décadas e a situação atual sobre os refugiados. “Uma em cada 113 pessoas do planeta tiveram que buscar refúgio ou foram forçados a se deslocar em seu país, é uma taxa elevadíssima. E cerca de 50% desses milhares de refugiados são mulheres e crianças”, contou.

Isabela explicou que os conflitos na Síria, Sudão do Sul, Iraque e Afeganistão são os maiores responsáveis pelos refugiados, que têm seus direitos violados e são obrigados a pedir proteção em outro lugar. “Muitos têm que sair sem planejamento, perdem familiares e bens materiais. Ou seja, é um processo muito difícil, com muitos desafios”, disse.

Segundo a palestrante, o Brasil possui cerca de 10 mil refugiados de 80 nacionalidades diferentes. A Síria e o Congo são alguns dos países de origem, mais recentemente o país vem recebendo também venezuelanos. O maior desafio deles é com idioma e documentos, sendo a validação de diplomas e a comprovação de experiência profissional um grande desafio.

“Muitos saem correndo de suas casas que pegaram fogo ou fogem de perseguições e nem sempre têm condições ou tempo de trazer os documentos. E na agência nós tentamos ajudar essas pessoas na validação de diplomas, por exemplo. O mais difícil é para casos sem graduação, como um carpinteiro, pois é difícil comprovar sua experiência. Então, muitos têm que se reinventar, sair de suas áreas e começar uma nova jornada profissional também”, comentou.

Isabela explicou que todos podem ajudar os refugiados, especialmente com informações. O primeiro passo é orientá-los a se dirigir à Polícia Federal para requisitar o pedido de refúgio, onde vão conseguir o Protocolo de Solicitação de Refúgio, uma permissão de estadia regular provisória, que dá direito a abertura de CPF e Carteira de Trabalho. “Especialmente vocês, futuros profissionais de RH, devem ficar atentos a esse tipo de detalhe e ajudar essas pessoas. Afinal, são muitos talentos invisíveis que precisam de apoio para recomeçar”, afirmou.

O evento continuou com a palestra motivadora do empresário João Marques Fonseca, sócio fundador da EMDOC no Brasil, consultoria especializada na área de imigração, transferências de brasileiros para o exterior e relocation, que foi apresentado pelo Secretário Municipal de Governo, Renato Orlando Stochi. “A boa vontade é o que faz a diferença, é o que move as pessoas. E o João é um bom exemplo disso. Começou do zero, teve vontade imensa e hoje tem uma história de sucesso. Então, fico muito feliz de ver vocês interessados no que está acontecendo no mundo. Não se esqueçam de sua origem e invistam no trabalho e na boa vontade”, disse.

Com o tema “Empreendedorismo Com Sustentabilidade Representa Sucesso Profissional e Pessoal”, João contou de sua formação em Administração, Ciências Contábeis e Ciências Jurídicas. Mas fez questão de dizer que além dos títulos, mostrar o trabalho é o melhor caminho para a sustentabilidade. “O dinheiro é consequência. Se você faz o que você gosta, a remuneração vem naturalmente. Então, não façam nada por dinheiro, tenham prazer no que fazem”, afirmou.

O empresário contou sobre sua carreira e do que fez até conseguir empreender. “Eu trabalhei em várias empresas até juntar dinheiro para montar a minha empresa. Atuei também como manobrista e garçom nos finais de semana. E essas funções, que muitas vezes são consideradas menores, agregaram muito pra mim em relacionamento. E fazer relacionamento positivo é um grande diferencial para qualquer carreira”, contou.

Em sua empresa, João tem relacionamento com centenas de empresas que contratam estrangeiros e que enviam brasileiros para outros países. Segundo o empresário, o segredo da sustentabilidade é a generosidade. “Todo empreendedor tem que ter um olhar social, sem ser assistencialista. Olhe para o seu negócio como empresário, com estratégia e ganhos. Mas encontre um projeto social que melhor se encaixa com seu perfil e invista. Não é necessário ter dinheiro, às vezes o seu tempo vale muito”, explicou.

João comprova o que defende. Sua empresa possui parcerias ativas com diversos projetos, entre eles ACNUR, PARR (Programa de Apoio para a Recolocação dos Refugiados), Cáritas e Instituto PIVI – Projeto de Incentivo a Vida.

“É uma conquista muito grande para o nosso curso, e motivo de orgulho, receber a presença desses dois especialistas, que fazem um trabalho tão fundamental para a sociedade. Com certeza, quem participou, teve uma vivência enriquecedora, especialmente por se tratar de assuntos tão atuais”, afirma a professora Carla.

22/05/2017

ăn dặm kiểu NhậtResponsive WordPress Themenhà cấp 4 nông thônthời trang trẻ emgiày cao gótshop giày nữdownload wordpress pluginsmẫu biệt thự đẹpepichouseáo sơ mi nữhouse beautiful