Educação Física mergulha no mundo do circo e faz apresentação emocionante

Educação Física mergulha no mundo do circo e faz apresentação emocionante

Evento foi produzido por 80 alunos do 1º semestre

A emoção tomou conta da Associação Beneficente Irmã Dulce (ABID) com a apresentação realizada no dia 3 por 80 alunos do 1º semestre de Educação Física. O evento faz parte da parceria entre ABID e MAX para a realização de ações sociais ao público atendido pela instituição. A apresentação está relacionada às disciplinas Prática Pedagógica e Prática Profissional, importante conteúdo do 1º semestre.

Os alunos participaram de toda a produção do espetáculo. “Pra mim foi uma experiência única e inexplicável. Desde a preparação até a apresentação final, não há palavras que descrevam o quão bem me fez, o quão gratificante foi ver aquelas crianças ali vibrando e cantando com você. Não há dinheiro no mundo que pague!”, comentou a aluna Cristina Morais.

Segundo o aluno Lazaro Previtale Junior, a atividade foi transformadora “Todos os cidadãos deveriam, por obrigação, participar pelo menos uma vez de um evento como esse. Ao participar, ajudei a realizar o sonho de muitas crianças. Mas na verdade o privilégio é de quem participa, afinal o sorriso de uma criança não tem preço”, comenta.

O coordenador de Educação Física, professor Pedro Bulgarelli, reforça a importância da mudança dos alunos após a apresentação. “É o primeiro contato dos alunos com apresentações públicas. E também é o momento deles realizarem interação com o público infantil, uma oportunidade vital para a formação”, diz.

Para quem participa, a experiência vai além de uma atividade que contribui para o futuro da carreira. “Amei participar, amei todos os momentos, cada minuto ali, cada sorriso, a união da sala em prol do bem. Deveria ter sempre esses projetos. Esse tipo de atividade deveria ser constante”, garante Cristina. “Aprendi que um profissional deve ser valorizado em tudo o que faz, pois nos pequenos detalhes fazemos a diferença, seja no âmbito profissional ou pessoal… Tais atividades nos proporcionam vivências que talvez muitos não tenham oportunidade de participar, até mesmo depois de formados”, afirma Lazaro.